sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Cave canem

 
                                        
                                     tinta-da-china, podengos, aguarela e modorra s/ papel


quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Sermão de Stº António aos Peixinhos

Lápis de grafite e aguarela s/ caderno Derwent 200 g.


A igreja barroca de S. Vicente, em Braga, foi o justo cenário escolhido para a  magnífica encarnação do Padre António Vieira pelo actor Marcelo Lafontana. O sempre actual Sermão de Santo António aos Peixes foi servido bem temperado e recomenda-se.



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Verano Azul


Pincel recarregável Pentel e aguarela s/ Moleskine A5
Rapa-se do fundo do caderno registo da maresia estival de acentuada saudade. Mais ainda quando a flatulência conjuntural inquina os últimos vapores de um verão que, apesar de tudo, conseguiu pintar-se de azul.

domingo, 25 de agosto de 2013

À sombra do vulcão

Caneta de feltro, roller-ball, aguarela e guache s/  moleskine A5, dupla página
Portugal e Espanha têm em comum possuírem as montanhas mais elevadas nos seus territórios insulares da Macaronésia- Açores e Canárias -, e ambas serem vulcões. O El Teide ergue-se a cerca de 3700 m de altitude, fica no hipermercado turístico de Tenerife e vale bem a visita.

sábado, 27 de julho de 2013

Cave Canem

Loki dormindo, pincel recarregável Pentel, Pilot G-4 e lápis de cor s/ caderno Derwent 200g

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Desenhos nocturnos

 
Os tópicos na esplanada do Deslize escorregaram da destruição da escola pública para as carreiras artísticas, empurrados pelos copos reunidos em alegre confraternização (alheamento fugaz do chilrear retórico para desenhar a fachada da sé de Braga incendiada pelas luzes).

A noite continua no Subura (lembra o Está-se Bem da Ribeira, no Porto). A biodiversidade noctívaga ocupa as cadeiras, o fumo o ar, as cervejas os copos, os copos as mesas. Ali joga-se qualquer coisa com cartas, mais à frente discute-se a transubstanciação, ao lado processadores e placas de vídeo e aqui já não sei bem o quê.

domingo, 7 de julho de 2013

Cepães, Marinhas


O tempo convida a borracheiras dérmicas de ultravioletas, a choques térmicos temperados com impropérios e outras coisas mais à medida das disposições. Nesta praia onde os seixos me encontram tropeço em evocações de Fernando Lanhas, que recolho para outras abordagens.
Os podengos juvenis esgotaram a curiosidade da primeira visita à praia e, finalmente, inicio as incursões gráficas  do dia.
 
Ao contrário do anterior, este foi executado com um pincel da Pentel a correr atrás dos acontecimentos: 30'' (a aguarela foi aplicada posteriormente). Caderno Derwent, 200g .

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Escola em Luta



Na escola Sá de Miranda em Braga os professores fizeram greve, e foram quase todos. Só em poucas salas houve possibilidade de se efetuarem os exames, sendo utilizado o critério da ordem alfabética para os alunos o poderem realizar. Assim, ao invés da anulação das provas, foi introduzido um critério discriminatório (ordem alfabética) que não foi bem aceite pela maioria dos alunos que, de uma forma espontânea manifestaram a sua indignação no interior e no exterior da escola.




São muitas e profundas as razões que determinam a realização desta greve. O direito a poder ensinar não é um privilégio, assim como as condições para o seu exercício; prejudicará muito mais os alunos o aumento do seu número por turma e de turmas por professores (entre outros factores) do que o adiamento de um exame.


quinta-feira, 13 de junho de 2013

Exame à Greve de 17

20' de desenho sobre papel 80 g de formato A6 com caneta Pilot G-4 preta

Este desenho foi feito ontem no decurso de uma reunião geral de professores destinada a esclarecer procedimentos a adoptar nos exames (o habitual). Também tomamos conhecimento, pela voz do nosso director, de uma convocatória notificando os docentes a comparecerem no dia 17, dia de greve. É bom saber que na minha escola a esmagadora maioria dos colegas não se intimida e está determinada a defender a escola pública e a combater a injustiça das imposições do ministro Crato.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

No museu dos sumários esquecidos

A artilharia ao dispor: canetas de calibres diversos, pretas, azul e branca s/ caderno Derwent A6


Há qualquer coisa de litúrgico neste recolhimento jacobino no museu. Reina o silêncio imposto pelos regulamentos, a reverência pela matéria mal estudada (não vá um sopro indagatório escancará-la) e a tranquilidade que os lugares ignotos proporcionam. Nada que impeça o farfalhar da caneta de atestar o alheamento temporário da constrição laboral. 

Na repartição de consumo de conteúdos formatados

A aguada foi acrescentada em casa. Pilot G-4 preta s/ caderno A6 da  Derwent, 200g (um mimo).

Enquanto espero a minha vez para aceder a “outra vida”, conforme a publicidade, não posso deixar de reparar na quantidade de pessoas indispostas com o serviço de reincarnações prometido.

domingo, 2 de junho de 2013

Caneta Pilot 0,4 preta e guache branco s/ Moleskine A5

Regresso a este museu diversas vezes. O acervo do início do século XX evoca as histórias da Adèle Blanc-Sec e testemunha outras eras do ensino em Portugal e na Europa. Lamento que seja diminuto e pouco ambicioso, ainda assim vale a pena a visita. Fica na Escola Sá de Miranda em Braga. 

segunda-feira, 13 de maio de 2013

O Gerês é no norte


O Gerês é um prefácio de Lineu. É com prazer renovado que o corpo desperta para os trilhos ásperos e encantados entre as crostas de granito das encostas, bordejando lameiros ou mergulhando sob a frescura densa das copas dos carvalhos e de outros companheiros silvícolas.
Esparzido branco e rosa das urzes, pinceladas violetas das torgas, manchas amarelas do tojo vibrando entre os verdes em mutação da balbúrdia vegetal. Cheiro de tudo isso e muito mais encharca as narinas.
Socorro-me de Miguel Torga, que terá calcorreado estas cercanias: “subo ao alto da serra, olho em redor, e até me parece impossível que nas pupilas tão pequenas do homem possam caber certas grandezas” (in Diários, Vols. IX a XVI).
Fica o desenho, concluído em casa (coloração), executado numa paragem antes de atacar a vertente que empareda o horizonte.

sábado, 11 de maio de 2013

Aux Barricades! Lol!



             Pincel Pentel, caneta Pilot G-tec 0,4, de cor sépia e Pilot G-1, de cor preta s/ caderno Derwent 200g
Entre as diversas técnicas de desinformação dos governos estão as notícias, que surgem nas vésperas de uma qualquer reforma incidindo sobre uma classe profissional, visando criar um clima de aceitação sustentado na manipulação de dados, na instilação da inveja e da maledicência. Outra é a velha técnica de sabor bolchevique, de repetir uma mentira até que ela se transforme numa “verdade”, como seja a inevitabilidade de certas medidas, prontamente caucionadas por “especialistas” da nomenklatura.
Este desenho foi realizado no decurso de uma reunião sindical na escola onde trabalho, na qual se discutiram algumas medidas na calha que, uma vez mais, agravarão as condições de trabalho dos professores e de aprendizagem dos alunos.

sexta-feira, 10 de maio de 2013



30' de navegação à vista com caneta preta Pilot G-1 s/ caderno A5 Derwent de 200g



Por vezes, os desenhos executados a partir de imagens de filmes podem refrescar procedimentos, consolidar técnicas ou simplesmente calibrar o olhar com a mão. Neste caso particular, o pretexto foi um episódio de "House of Cards", uma série que tem como ator principal Kevin Spacey, num desempenho notável pelos meandros possíveis da política.



 
Com o avançar da primavera, talhões indomados irrompem de vida com espécies silvestres menos dadas as passerelles vegetais, convidando o olhar (e o olfato) a participar nesta festa de formas e cores.

terça-feira, 2 de abril de 2013

À espera

                         Uma sala de espera pode ser um local inspirador. A cor foi acrescentada em casa.


Irvine Welsh vale a pena a leitura. Dou por mim a pretender revisitar o "Trainspotting"e a ler mais alguns dos seus livros mas, enquanto não chego com os dedos a essas lombadas, fico-me pela Cidade de Ladrões.
Não valia a pena guilhotinar esta dupla página com momentos tão distintos embora unidos pelo mesmo dia; não resisti à imagem dos meus dois jovens podengos a tirarem uma sesta no colo do meu irmão. Consolações de uma quadra excessivamente chuvosa...

terça-feira, 5 de março de 2013

Que se lixe a troika!

 
 
 
Corriam as 16h e a Avenida compunha-se de gente triste e desiludida, esmoendo uma revolta surda que nos vai enchendo (até um dia ser tarde demais) e que transbordou a baixa da Invicta.
Foi bom regressar ao Porto.

Mesão Frio

Neste antigo convento franciscano (séc.XVIII) alojam-se os poderes autárquico, administrativo e judicial desta vila duriense que vale a pena visitar, de preferência no estio (o nome da povoação morde os dedos).
 
    

sexta-feira, 1 de março de 2013

                    Canetas gráficas Pentel G-4 (preto, azul e sépia) e esferográfica preta Pilot s/ caderno Derwent A6


A 100ª Página é um corpo habitado por livros que se espraiam por diversas divisões onde sabe bem estar (imagino com alguma angústia a cidade de Braga sem este espaço singular).
Não sei por que carga d'água me lembrei de Tomasi di Lampedusa e, por arrasto, da adaptação cinematográfica do seu livro por Luchino Visconti.  Cacei  numa estante o Leopardo que repousa ao meu lado; vem com a eterna Claudia Cardinale na capa a perturbar a concentração na paisagem interior desta magnífica livraria.
 

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

(...)

  Canetas gráficas Pilot (azul e sépia) e pincel recarregável (Pentel) s/ Moleskine A5

Foram três os carros que, sucessivamente, foram ocupando o espaço em frente. O resto do cenário manteve-se amavelmente imóvel ao longo dos 40 minutos de desenho.
 
 

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Desenhar no Museu


 
Visita de estudo ao Museu Nacional Soares dos Reis: o acolhimento caloroso de sempre e uma sessão de 60' de conversa gráfica com as esculturas.